Análise de Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses!

A Diamond Films pode respirar aliviado, o mais novo longa de Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses, que estreou nos cinemas do Brasil na semana passada, ficou com a segunda maior bilheteria do dia e finalizou o final de semana sendo a quarta maior, ficando colado com o filme nacional Mato Sem Cachorro estrelado pelo comediante Danilo gentili. Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses arrecadou saldaveis 1,75 milhões em três dias de exibição, e tem a estimativa que mais de 100 mil pessoas tenham assistido ao filme do Dragon Ball Z nos cinemas. O longa ainda está em cartaz e, devido ao sucesso, deverá ficar no circuito de exibição nas próximas semanas.

Confira nossa crítica:

O grande trunfo de Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses é agradar o público no humor. Por mais que seja uma história de certa forma infantilizada, ela possui momentos bastante divertidos sem deixar de lado as cenas de combate que estão bem caracterizaram na série ao longo dos anos.
Dragon-Ball-Z-A-batalha-dos-deuses-00

Eis um ponto em que muitas pessoas não gostaram: a desmoralização de personagens como Goku e Vegeta. Para quem não está acostumado a ver o super Saiyajin  caindo com um peteleco e o príncipe dos Saiyajins fazendo a dancinha do bingo, é bem compreensível a reação de alguns fãs. Que acharão bastante engraçado.

Dragon-Ball-Z-A-batalha-dos-deuses-02

Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses é um filme divertido que agrada  aos fãs que jamais viram um episódio sequer da série, pelo bom humor da história. Além disto, chama a atenção a animação um pouco mais elaborada em relação a série e o remake Dragon Ball-Kai, com o uso de elementos computadorizados, para uma melhor animação em geral.

Vennelope

Cultura POP está em todo lugar ;) . Deixa seu comentário no espaço abaixo, ficarei feliz em responder.