Burn the Witch – Quase bom

Apesar dos defeitos, o filme Burn the Witch está longe de ser entediante

1
218
Burn the Witch - Anime estreia no Crunchyroll em Outubro!

Burn the Witch tem uma proposta ambiciosa, mas mal executada. Além de desnecessariamente dividir o filme em três episódios, forçando a ter inícios e fins fora de lugar que deixaram a história desconexa, o centro do problema foi principalmente causado pelo “hype”, afinal a obra é de Tite Kubo, o criador de Bleach, clássico dos anos 2000, dando credibilidade ao filme, mas ao mesmo tempo deixando os defeitos evidentes.

O maior problema do filme é a falta de explicação, vários animes se passam em mundos diferentes, que necessitam de desenvolvimento para que a história funcione, como Fire Force e Ascendance of a Bookworm fazem muito bem, mas em BTW o espectador é atirado na história (o que não é necessariamente um defeito), com uma breve explicação sobre a Wing Bind, os dragões… e só.

O primeiro e único (como ainda não foram anunciadas continuações) filme, não explicou nada sobre o mundo em que se passa, o conceito da Londres frontal e Londres reversa é confuso e pouco desenvolvido. As personagens Noel e Ninny são carismáticas e funcionam bem juntas, mas quem são elas? É o primeiro filme e não sabemos quase nada sobre as protagonistas.

Sem contar a Wing Bind, empresa onde magos e bruxas trabalham como agentes de proteção contra seres fantásticos (isso estava na sinopse). A partir disso nada é bem desenvolvido sobre a WB, mostrando apenas uma pseudo-história e alguns easter eggs de Bleach.

Os personagens são todos interessantes, alguns até misteriosos, mas são rasos. Balgo Parks, o alívio cômico, é o típico personagem infantil que age sempre do mesmo jeito. Macy Baljure, o gatilho da história, tendo conexão com Ninny e uma personalidade ímpar, foi a única personagem mais desenvolvida no filme.

Animação

O anime tem uma animação excelente, o Studio Colorido (A Whisker Away) faz jus ao seu nome, até mesmo os dragões, que normalmente são feitos com 3DCG para acelerar a produção, foram muito bem animados, mas essa qualidade de animação é o esperado de um filme.

Considerações finais

Apesar dos defeitos, o filme Burn the Witch está longe de ser entediante, entregando cenas engraçadas que encaixam bem com as de ação, e a relação dos personagens juntos também é muito divertida, deixando a vontade de ver mais. Mesmo que a solução final tenha sido simples, o filme abre portas para alguns mistérios e caminhos a serem explorados.

O filme inspirado no mangá homônimo de Tite Kubo contou com direção de Tatsuro Kawano no Studio Colorido. Roteiro de Ryomura Chinatsu e trilha sonora de Keiji Inai. BTW foi lançado em 2 de outubro e está disponível na Crunchyroll.