Arquivos

Autor de Hentai comenta ter ‘vida melhor’ que os mangakás profissionais

Autor comenta ter ‘vida melhor’ que os mangakás profissionais

O artista japonês, “姉太郎” ou “ @ANETAROU ”, abriu um debate no X (Twitter) afirmando que criadores independentes de doujinshi, podem obter lucros melhores comparado a mangakás profissionais que cria seus trabalhos através de editoras e revistas.

Autor comenta ter ‘vida melhor’ que os mangakás profissionais

Por meio de uma série de tweets, o artista compartilhou suas experiências pessoais e perspectivas sobre a indústria de mangá no Japão. Nas suas declarações, enfatizou o longo período dedicado à escrita e ilustração, atribuindo sua estabilidade financeira nos últimos anos ao trabalho na área de doujinshi hentai. Ele explica na postagem:

Dediquei-me à escrita e ao desenho quase toda a minha vida », escreveu o artista. « A razão pela qual ainda posso viver assim nos últimos anos é, francamente, porque ‘continuei desenhando hentai doujinshi’ e ‘não me tornei um mangaká profissional.

A essência do seu argumento se concentra nas diferenças econômicas entre os ganhos provenientes da comercialização de doujinshi e aqueles auferidos pelos mangakás profissionais. Segundo suas declarações, os artistas de doujinshi podem alcançar lucros que oscilam entre 50% e 80% do valor das vendas, ao passo que os autores profissionais dificilmente conseguem 5 a 10$ em royalties.

“No mercado doujinshi você lucra entre 50 e 80 por cento do valor das vendas, enquanto como autor profissional você lucra apenas entre 5 e 10 por cento ”, declarou o artista.

Essa disparidade financeira traz questionamentos sobre a viabilidade econômica para os autores profissionais que dependem de editoras e revistas para lançar suas obras. No entanto, ele indica que muitos artistas podem encontrar uma estabilidade financeira mais sólida e liberdade criativa maior dentro do doujinshi.

Além disso, o artista compartilhou sua experiência pessoal, revelando que sua decisão de continuar trabalhando com doujinshi foi em parte motivada pelas dificuldades financeiras enfrentadas por sua família.

“Meus pais estavam endividados, mas eu não queria abandonar minha paixão”, revelou.

Portanto apesar das discrepâncias econômicas, ele diz ter esperança de que a indústria progrida a uma maior acessibilidade e oportunidades para os artistas. “Como criador, desejo ver o mercado de mangá se expandir ainda mais. Almejo uma era na qual você possa expressar livremente suas ideias e disponibilizá-las diretamente para seu público”, declarou.

Por fim as palavras dele tiveram um intenso debate nas rede sociais sobre as estruturas e práticas da indústria da mangá no Japão.

Fonte: Kudasai